Tribunal de Contas do Estado da Paraíba


Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade

EFICIÊNCIA DOS GASTOS COM COMBUSTÍVEIS

Atualizações

Versão beta 1.2
Última atualização: 22/11/2017

Novidades:

  • Ajustes no vetor de mineração de texto (text mining), para uma melhor predição das despesas com combustíveis não estruturadas;
  • Dados financeiros e do SUS atualizados até o mês de setembro/2017;

Painel I - Despesas com Combustíveis

A) Visão Geral

Este painel permite uma visão geral das despesas com combustíveis realizados pelas gestões municipais da Paraíba a partir do exercício 2008. Pode-se controlar para despesas não estruturadas (aquelas declaradas fora do subelemento combustíveis e lubrificantes), para a variação de preços dos combustíveis no estado e tipo de despesa (empenhada, paga ou liquidada). Ademais, também é possível visualizar os dados por microrregiões e mesorregiões e fazer uma análise histórica, comparativa e territorial dos dispêndios municipais com combustíveis.

Os dados presentes neste painel são oriundos das seguintes fontes:

  • Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (SAGRES/TCE-PB)
  • Receita Estadual da Paraíba
  • Agência Nacional do Petróleo (ANP)
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Filtros cruzados


Nota

Nota

Nota

Nota

Painel I - Despesas com Combustíveis

B) Comparar localidades

Este painel permite a comparação dos gastos com combustíveis entre localidades segundo diferentes gestões municipais da Paraíba a partir do exercício 2008, fazendo controle para tipo de despesa, para a variação de preços dos combustíveis no estado, composição dos gastos e a comparabilidade entre as diferentes hierarquias regionais.

Os dados presentes neste painel são oriundos das seguintes fontes:

  • Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (SAGRES/TCE-PB)
  • Receita Estadual da Paraíba
  • Agência Nacional do Petróleo (ANP)
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Filtros cruzados


Nota

Nota

Nota

Nota

Painel I - Despesas com Combustíveis

C) Preços

Este painel apresenta uma visão geral sobre os preços dos combustíveis na Paraíba a partir do exercício 2008, permitindo verificar as diferenças de preços entre as regiões do Estado, bem como decompondo os tipos de combustíveis mais consumidos ao longo do tempo.

Os dados presentes neste painel são oriundos das seguintes fontes:

  • Receita Estadual da Paraíba
  • Agência Nacional do Petróleo (ANP)
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)



Painel II - Necessidades locais para consumo de combustíveis

Visão Geral

Visão geral do índice de necessidades locais para consumo de combustíveis dos municípios da Paraíba a partir do exercício 2008. Com base neste painel é possível fazer uma análise espacial, comparativa e de decomposição do nível de necessidades locais com combustíveis.

Os dados presentes neste painel são oriundos das seguintes fontes:

  • Sistema de Informações Hospitalares (SIHSUS)
  • Sistema de Informações Ambulatoriais (SIASUS)
  • Censo Escolar da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Filtros cruzados





Painel III - Análise de Eficiência

A) Visão Geral

Visão geral da análise de eficiência dos gastos com combustíveis realizados pelas gestões municipais da Paraíba a partir do exercício 2008, a partir da relação entre as despesas totais com combustíveis e o índice de necessidades totais dos municípios. Com base neste painel é possível fazer uma análise espacial, comparativa e histórica do nível de eficiência dos dispêndios municipais com combustíveis.

Os dados presentes neste painel são oriundos das seguintes fontes:

  • Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (SAGRES/TCE-PB)
  • Sistema de Informações Hospitalares (SIHSUS)
  • Sistema de Informações Ambulatoriais (SIASUS)
  • Censo Escolar da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Filtros cruzados


Nota

Nota

Nota


Painel III - Análise de Eficiência

B) Comparativos

Este painel faz um maior detalhamento dos resultados para as municipalidades identificadas como ineficientes em pelo menos um período, destacando as oportunidades de economia de recursos públicos com fronteira recursiva, considerando três cenários: benchmarking técnico (inicial), proximidade e similaridade populacional.

Ademais, é apresentado o comparativo de desempenho das unidades ineficientes em relação à média das gestões municipais com melhores razão custo-necessidade, ou seja, aquelas municipalidades que possuem mais necessidades latentes e gastam menos do que a municipalidade ineficiente. Esse último critério de avaliação se mostra interessante para identificar a recorrência de práticas ineficientes no tempo.

Os dados presentes neste painel são oriundos das seguintes fontes:

  • Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (SAGRES/TCE-PB)
  • Sistema de Informações Hospitalares (SIHSUS)
  • Sistema de Informações Ambulatoriais (SIASUS)
  • Censo Escolar da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Filtros cruzados


Nota


Nota


Painel III - Análise de Eficiência

C) Observações atípicas

Este painel reporta as municipalidades consideradas como influentes no modelo de análise de fronteiras de eficiência. Para um município ser considerado observação atípica (outlier) do conjunto de dados é preciso, no caso deste estudo, apresentar uma baixa relação custo-necessidade ou ser um ponto extremo (diferente) das observações.

Os dados presentes neste painel são oriundos das seguintes fontes:

  • Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (SAGRES/TCE-PB)
  • Sistema de Informações Hospitalares (SIHSUS)
  • Sistema de Informações Ambulatoriais (SIASUS)
  • Censo Escolar da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)


Painel IV - Mapas

Explorar dados por município

Este painel permite explorar dados a partir de variáveis apresentadas em mapas temáticos ao longo de períodos. Ao clicar em um município é possível explorar a dinâmica de variáveis relevantes para a determinação da eficiência no uso de despesas com combústíveis nessa localidade.

Os dados presentes neste painel são oriundos das seguintes fontes:

  • Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (SAGRES/TCE-PB)
  • Sistema de Informações Hospitalares (SIHSUS)
  • Sistema de Informações Ambulatoriais (SIASUS)
  • Censo Escolar da Educação Básica do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP)
  • Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

Painel V - Relatórios

a) Matriz de risco

Filtros

Exportar relatório

Baixar/PDF

Nota

Exportar relatório

Baixar/PDF

Matriz de Risco


Nota

Tribunal de Contas do Estado da Paraíba


Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade

EFICIÊNCIA DOS GASTOS COM COMBUSTÍVEIS

Esta pesquisa teve por objetivo nortear e mensurar a aquisição mais econômica de combustíveis pelos municípios paraibanos, estabelecendo como matriz a média razoável de recursos despendidos de acordo com as necessidades locais. Os indicadores e a Aplicação Web desenvolvida foram frutos do Projeto de Monitoramento e Avaliação dos Recursos Orçamentários da Gestão Pública no Estado da Paraíba (MARCO-PB).

Promivida pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB), por intermédio da Fundação de Educação Tecnológica e Cultural da Paraíba (FUNETEC), a pesquisa foi desenvolvida pelos professores do Departamento de Economia da Universidade Federal da Paraíba e pesquisadores do Laboratório de Estudos em Microeconomia Aplicada (LEMA), grupo de estudos associado ao Instituto UFPB de Desenvolvimento da Paraíba (Idep/UFPB).

Os painéis de visualização desta aplicação permitem uma exploração dinâmica dos resultados da pesquisa sob várias dimensões (espaciais, históricas e recorrência) e possibilidades de comparação no tempo e entre territórios. Eles estão estruturados em três partes centrais:

  • Despesas com combustíveis
  • Necessidades locais de consumo de combustíveis
  • Análise de eficiência: confronto entre as despesas e as necessidades

Metodologia

A metodologia de análise de fronteira não paramétrica Free Disposal Hull (FDH) - convencional, recursiva e sequencial, possibilitou o cálculo de margens de melhor compatibilização dos recursos para idênticas necessidades locais dos municípios, das quais se pontuou a eficiência dos gastos com combustíveis e, assim, identificaram-se oportunidades de economia.

Apresentação sintética da modelagem usada no estudo

Modelo Sintético

Glossário

Índice de eficiência dos gastos com combustíveis

Indicador que mensura o desempenho comparativo do gasto público com combustíveis que varia de 0 a 1, onde quanto maior o índice mais eficiente é o município no uso dos recursos. Esse indicador foi desenvolvido por meio do método não paramétrico de programação matemática Free Disposal Hull (FDH), verificando a compatibilização entre os gastos totais com combustíveis e as necessidades potenciais das gestões municipais com o consumo de combustíveis. Este método estima a fronteira de idênticas necessidades por meio de comparações entre inputs e outputs, de forma a estabelecer os pontos dominantes.

Unidade ineficiente

Uma unidade é denotada como ineficiente quando ela é dominada por pelo menos uma outra observação, em termos da relação custo-necessidade. Ou seja, se a unidade A é ineficiente é porque existe pelo menos uma unidade de referência com menor custo e mais necessidades.

Despesa não estruturada com combustíveis

Despesa com combustíveis identificada através de procedimentos de mineração de texto que são declarados em subelementos de despesa diferentes do subelemento adequado/esperado (combustíveis e lubrificantes automotivos), tais como: outros serviços de terceiros, pessoa jurídica; outros materiais de consumo; sem subelemento.

Despesa total com combustíveis

Soma de empenhos, pagamentos ou liquidações relacionados ao subelemento combustíveis e lubrificantes automotivos (despesa estruturada) com os empenhos identificados por mineração de texto (despesa não estruturada).

Índice de Necessidades Locais para o uso de combustíveis

Medida que estima as necessidades latentes dos municípios no que tange às despesas com combustíveis, variando de 0 a 1. Esse indicador é formado pelas seguintes variáveis: área territorial total do município, população total, número de internações hospitalares em deslocamento, distância rodoviária percorrida para internação hospitalar em deslocamento, número de consultas ambulatoriais de média e alta complexidade em deslocamento, distância rodoviária percorrida para consultas ambulatoriais de média e alta complexidade em deslocamento, número de alunos residentes no município (independentemente da rede de ensino) que utilizam transporte escolar fornecido pelo setor público municipal, número de alunos residentes na zona rural que estudam em escolas situadas na zona urbana do município. Esse critério estatístico serve para ponderar as necessidades latentes dos municípios no que respeita às despesas com combustíveis.

Método de classificação (mapas)

Refere-se o modelo empregado para atribuição de cores de uma variável no mapa a partir da organização dos valores em intervalos de classe.

Método de classificação (mapas): Clusters k-means

Gera intervalos de classe com o escopo de formar grupos (clusters) baseados na similaridade entre as observações consideradas. Em termos gerais, dado um conjunto de observações descritas por múltiplos valores (atributos), os clusters são gerados particionando as observações objetivamente em grupos homogêneos de maneira a: maximizar a similaridade dentro de um mesmo cluster; minimizar a similaridade de objetos entre clusters distintos. Tal como o método de Quebras Naturais, o Clusters k-means é altamente indicado para exploração e identificação de observações que se diferenciam do conjunto total dos dados.

Método de classificação (mapas): Contínua

Refere-se a forma mais simples de classificação, cuja a coloração (temperatura) de uma dada unidade espacial é proporcional ao valor da variável.

Método de classificação (mapas): Intervalos iguais

Trata-se de um método que cria intervalos de classe da variável de interesse em subintervalos de tamanho igual, levando em conta a amplitude total dos dados (a diferença entre o valor máximo e o valor mínimo) e o número de classes consideradas para definir o tamanho de cada intervalo de classe e, assim, os seus limites inferiores e superiores. De modo geral, esse tipo de classificação (intervalos iguais) é mais indicado para informações em proporções, índices ou taxas (como índice de eficiência), do que em nível (como gasto total).

Método de classificação (mapas): Quantis

Refere-se a um método de classificação baseado na distribuição equitativa das informações entre as classes consideradas, ou seja, cada classe contém um número aproximadamente igual de unidades. Na abordagem quantílica, os dados ordenados são divididos em q subconjuntos de dados de dimensão essencialmente igual. Uma vantagem dessa abordagem é que não existem classes vazias ou com pouquíssimos valores, sendo indicado o uso dessa classificação para informações distribuídas de forma linear. É válido realçar que a classificação de quantis pode resultar em mapas com intervalos de classe que não refletem fidedignamente a real distribuição espacial das informações estatísticas, uma vez que municípios com valores muito distintos podem ser colocados em uma mesma classe ou localidades que apresentam valores similares podem ser alocados em classes adjacentes.

Método de classificação (mapas): Quebras Naturais

Criam intervalos de classe baseados em agrupamentos naturais inerentes aos dados. Esse método é baseado no algoritmo de Jenks que minimiza as diferenças dentro das classes e maximiza as diferenças entre as classes. Esse algoritmo faz uso de um processo iterativo, que termina quando a soma total dos quadrados dos desvios dentro de uma classe seja tão pequena possível e que a variância entre as classes seja o maior possível. Esse método é indicado para exploração dos dados e identificação de observações que se diferenciam do conjunto total dos dados.

Observações atípicas (outliers)

É uma observação com valor aberrante ou valor atípico, afastando-se com grande distanciamento das demais observações sob análise.